terça-feira, 28 de junho de 2011

Sensibilidade ao glúten provoca doenças auto-imunes



sensibilidade ao glúten é diferente de doença celíaca. Na sensibilidade não há a destruição das vilosidades do intestino delagado como na DC. Os genes envolvidos na sensibilidade e na DC são diferentes.


A DC é uma das mais de 100 doenças conhecidas como auto-imunes. Na prática clínica, pacientes com doenças auto-imunes melhoram mt quando colocados em dieta livre de glúten. Isto é mt importante porque doenças auto-imunes é a 3ª maior causa de mortes em todo o mundo.



As estatísticas de doenças auto-imunes dobram a cada 15 anos. Embora haja o componente genético p/ estas doenças, um aumento tão grd justifica-se mais com o componente ambiental funcionando como gatilho: glúten.


Se vc tem uma doença auto-imune, tente uma dieta sem glúten para verificar se há uma melhora na sua condição crônica. Se não tem doença auto-imune, mas tem sensibilidade ao glúten, retire-o para que não venha a desenvolver alguma.



Em pessoas com sensibilidade ao glúten, este é considerado um invasor, o sistema imunológico o ataca formando anti-corpos. Isto acontece primeiramente no intestino delgado proporcionando um mecanismo para o intestino se tornar mais permeável.


Quando o intestino se torna permeável, estes anti-corpos podem escapar para a corrente sanguínea e atingir todo e qualquer orgão causando reação cruzada e instalando assim uma doença auto-imune.


Outro mecanismo para instalação de doenças auto-imunes é através das glândulas adrenais e a diminuição de liberação de cortisol. O cortisol é um sinalizador do sistema imunitário mostrando-o o que deve ou não ser atacado. Sem esta sinalização, mecanismo imunitário reage a qualquer coisa. Esta situação é mt vista nas reações alérgicas.


Famíliares de pacientes celíacos mesmo sem apresentar a DC, mas tendo sensibilidade ao glúten, tem 5 x mais chances de apresentar doenças auto-imunes ao longo da vida. Por este motivo, mesmo sem apresentar distúrbios gástricos, devem ser colocados em dieta livre de glúten. Somente 1/3 de pacientes com sensibilidade ao glúten reclamam de problemas digestivos.


http://www.aarda.org/research_display.php?ID=47 Esta é a lista de doenças auto-imunes preparada pela Ass. Americana de Doenças Auto-imunes.


Sabemos então que os genes envolvendo sensibilidade ao glúten e intolerância ao glúten são diferentes. Sabemos tb que há o teste genético específico para descobrir se a pessoa tem mutações nestes genes. São vários envolvidos e de acordo com... a minha amiga Raquel Benati 98% dos celíacos apresentam mutação nos DQ2 e DQ8. Tem mais cerca de 10 mutações relacionadas então somente a sensibilidade. Por isso pergunto:: Existe algum estudo científico com autistas e as mutações genéticas relacionadas ao glúten? Como vemos que a dieta SGSC melhora o caso de mts, quantos desses tem mutações relacionadas ao glúten e não sabemos? Será que uma parcela destes pacientes não estaria apresentando um novo estilo de doença auto-imune? Será que o autismo não poderia ser a ponta do iceberg em famílias inteiras com mutações de sensibilidade ao glúten?


O que eu gostaria é de saber é quantos destas crianças tem a predisposição genética de desenvolver a sensibilidade? Esse exame gené...tico tem cobertura dos planos de saúde. O que eu percebo é que ele está sendo mal empregado e tendo sua importância menosprezada, sendo utilizado somente para os casos de doença celíaca. A gente pode estar perdendo o fio da meada para várias outras manifestações genéticas.



Autismo: - Aceitação sim, CONFORMISMO não!!!!!!!!

http://dietasgsc.blogspot.com

http://twitter.com/Clau_Marcelino





Claudia Marcelino, moderadora dos Grupos Autismo Esperança, Autismo Tratamento, Diário de um Autista, Autismo é Tratável e mãe de Maurício, 19 anos - RJ.
Autora do livro: Autismo Esperança pela Nutrição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário