terça-feira, 30 de agosto de 2011

A parábola do rato

Vi essa parábola no facebook de uma amiga e acho que tem tudo a ver com a gente. Muitos devem conhecer mas vale a pena relembrar se for o caso! Boa semana pra todos.
rato
Um rato, olhando por um buraco na parede, viu o fazendeiro e sua esposa abrindo um pacote. Pensou logo em que tipo de comida poderia ter ali. Mas ficou aterrorizado quando descobriu que era uma ratoeira. Foi para o pátio da fazenda e advertiu a todos:
- Tem uma ratoeira na casa, tem uma ratoeira na casa!!!
A galinha, que andava ciscando de um lado para outro, levantou a cabeça e cacarejou:
- Desculpe, Sr. Rato, eu sei que é um grande problema para o senhor, mas não me prejudica em nada. Ratoeiras não são para as galinhas, por tanto não corro nenhum perigo por causa da ratoeira.
O rato foi até o porco:
- Tem uma ratoeira na casa, uma ratoeira!
- Desculpe, Sr. Rato, mas não há nada que eu possa fazer, a não ser rezar. Fique tranqüilo que o senhor será lembrado nas minhas preces – concluiu irônico.

O rato dirigiu-se então à vaca. Mas ela nem ligou para um animalzinho tão pequeno:
- Você acha que eu estou em perigo por causa de uma ratoeirazinha?
E mugiu despreocupada.

Então o rato voltou para casa, cabisbaixo e abatido, para encarar sozinho a ratoeira do fazendeiro. Naquela noite, ouviu-se na casa o barulho característico da ratoeira pegando sua vítima.
A mulher do fazendeiro correu para ver o que tinha acontecido. No escuro, ela não viu que a ratoeira tinha prendido a cauda de uma cobra venenosa. A cobra picou a mulher. O fazendeiro levou-a imediatamente ao hospital. Ela voltou com febre.

Todo mundo sabe que para alimentar alguém com febre, nada melhor que uma canja. O fazendeiro pegou seu cutelo e foi providenciar o ingrediente principal, a galinha.
Como a mulher continuava mal, amigos e vizinhos vieram visitá-la. Para alimentá-los, o fazendeiro matou o porco. A mulher não melhorou e acabou morrendo. Muita gente veio para o funeral. O fazendeiro então sacrificou a vaca para alimentar todo aquele povo.

Autor desconhecido
Na próxima vez que você ouvir dizer que alguém está diante de um problema e acreditar que isso não lhe diz respeito, lembre-se: quando há uma ratoeira na casa, toda a fazenda corre perigo.
Fonte: Mural Jóia
Muitos acham que os autistas são minoria (apesar de dados provarem o contrário), que esse não é um problema sério. Em congressos que fui eles chamam os autistas de Canário da Mina pois esse “surto” que está acontecendo no mundo quer nos mostrar alguma coisa. Por que tantas pessoas estão ficando doentes? Uma alimentação muito industrializada, exposição a muitos produtos químicos, a correria desenfreada do mundo moderno? Bom, o fato é que estamos vendo cada vez mais o número de pessoas com síndromes psicológicas e emocionais crescer. Quem ignora como se não fosse seu problema poderá se surpreender. Hoje não conhece nenhum autista, amanhã tem um vizinho e assim por diante. Vamos nos conscientizar por causas nobres e lutar pelo nosso povo e pelo nosso país. Vamos fazer a nossa parte! Ignorar não é saudável :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário